terça-feira, 5 de outubro de 2010

Regressar à Palavra


Setembro é o mês dos regressos! É o regresso à escola, ao emprego, à azáfama do dia-a-dia… Também para a Igreja, Setembro é o mês do regresso; retomam-se e programam-se as actividades pastorais. As comunidades paroquiais parece que retomam a energia e a vida.

A nossa Igreja Arquidiocesana, portanto, todos nós, retoma o seu plano pastoral dedicado à Palavra de Deus e convida-nos a Viver da Palavra. Importa que o acolher se oriente para o viver. Para acolher a Palavra de Deus, precisamos de entrar nesse grandioso mundo que é a Bíblia para ler, acolher, meditar, rezar e viver a Palavra. Infelizmente, a Igreja, ao longo de tantos anos, como que se esqueceu da Palavra. Felizmente que, agora, quer regressar ao fundamento da fé cristã, à fonte de toda a Tradição e Doutrina. Somos convidados a regressar à Palavra!

Para termos sucesso neste regresso à Palavra, o Concílio Vaticano II colocou a 18 de Novembro de 1965 um precioso documento introdutório para a leitura e escuta orante da Palavra de Deus, a Constituição Dogmática Dei Verbum. Muitos de nós já possuem a Bíblia, mas também seria importante adquirirmos este documento, que é pórtico da Bíblia. Ao longo deste ano pastoral, irei partilhar convosco algumas pistas de leitura da Constituição, esperando assim poder contribuir para um melhor acolhimento e vivência da Palavra de Deus.

Lê-se no número 12 da Dei Verbum: “Deus falou na Sagrada Escritura por meio de homens e de maneira humana”. A história da Bíblia é história da Palavra de Deus aos homens. Os Antigo e Novo Testamentos descrevem-nos o itinerário da Palavra de Deus, a qual: cria o mundo (Gn 1), chama Abraão (Gn 12, 1ss), é dirigida aos profetas de Israel (Os 1, 1; Jr 1, 2); assume o rosto de homem em Jesus de Nazaré (Jo 1, 1-14), “difunde-se, cresce e afirma-se com força” com a dilatação da Igreja Apostólica (Act 6, 7; 12, 24; 19, 20), regula o fim do universo e o início do novo mundo (Ap 19, 11-16; 21, 1 ss). É este itinerário que, ao longo deste Ano Pastoral, iremos percorrer num diálogo amigo com Deus, que nos fala em linguagem humana para fazer comunhão de vida connosco. A Revelação de Deus é descrita, neste documento, com a categoria da palavra, mais ainda, do diálogo amigável: “Em virtude desta Revelação, Deus invisível, na riqueza do Seu amor, fala aos homens como a amigos e conversa com eles para os convidar e admitir a participarem da Sua própria vida” (DV 2).

Vamos entrar nesta “conversa”?! Boa viagem de regresso à Palavra! Bom Ano Pastoral! A Senhora do Sameiro, Senhora Hospitaleira da Palavra, caminha connosco!


Arnaldo Vareiro


Sem comentários:

Enviar um comentário